quinta-feira, 29 de abril de 2010

Se um dia voltar


Quando você me deixava na esquina de casa e ia embora eu começava a contar os dias e as horas para o próximo encontro. Eu nunca te disse que as minhas pernas sempre tremiam enquanto te esperavam e você nunca soube o quanto um segundo do seu atraso me deixava aflita com medo de que não viesse ao meu encontro. Mas você sempre vinha e levava todos os meus medos, aquietava o meu coração e respondia todas as minhas dúvidas sem ter que pronunciar uma palavra. Ao fim de mais um encontro, você dizia: Vamos amor, tá na nossa hora. E eu simplesmente concordava e ia, mas lá no fundo eu queria me ajoelhar e te implorar pra que ficasse ali comigo, pra que me protegesse do frio com seus braços, pra que seus ombros oferecessem a minha cabeça o conforto que ela precisava, pra que eu tivesse certeza de que jamais te perderia.
Você não sabia, mas ao chegar em casa eu cheirava todas as minhas peças de roupa pra saber se elas haviam conservado o teu cheiro, eu me recusava a colocar qualquer uma pra lavar enquanto tivessem algum resquício do teu perfume.
Eu tenho revivido dia após dia todos esses momentos, tenho revivido das ligações de dois minutos até as longas conversas que nos faziam perder a hora, dos beijos mais fraternos aos mais cheios de desejo, dos abraços mais simples até aqueles capazes de nos curar de qualquer coisa, do sexo mais selvagem até a maneira mais sublime que já fizemos amor. Eu tenho lembrado palavra por palavra as coisas que falamos um ao outro, as cartas que te entreguei, as que não entreguei, tenho lembrado das palavras carinhosas e também das 'impensadas' e agressivas. Eu tenho recordado o nosso primeiro contato. Desde aquele dia em que conversamos pela primeira vez eu desejei a minha vida toda com você ao meu lado, eu nunca cogitei a possibilidade de ser diferente.
Eu não tenho visto mais ninguém olhar pra mim da forma como você costumava olhar, ninguém tem o teu jeito de colocar a alma nos olhos pra dizer o quanto eu sou amada. Eu sempre abominei cantadas, mas me rendi a todos os teus cortejos.
Eu era tua muito antes de saber que entraria na minha vida, mudaria a minha história e deixaria todas as marcas que uma vida pode deixar em outra. Eu era tua quando não encontrava encanto em outros homens mais jovens, mais bonitos e mais saudáveis que você, eu era tua quando vesti a camisa do flamengo pela primeira vez ainda criança, eu era tua quando preferia geografia a matemática, eu era tua quando me apaixonei por MPB, quando me sensibilizava com as pessoas, quando cuidava da natureza e em todas as outras coisas que eu pensei serem minhas, mas eram antes tuas. A minha maneira de ser, de pensar, de agir, de falar é você. Tudo que é meu, sempre foi primeiro teu, todos os meus gostos, meus meios, meus anseios, meus sonhos, tudo.
Eu sinto muito a tua falta, sinto falta até daquilo que não vivemos, das noites de sono e de insônia que deixaram de ser compartilhadas, das viagens que não aconteceram, das festas que não fomos, das bebedeiras adiadas, das fantasias não realizadas, das promessas não cumpridas.
Será que vai existir no mundo outro encaixe perfeito como eu e você, será que outra mão conseguirá cobrir a minha, será que outra perna se enroscara na minha perna formando o laço mais perfeito, será que outro braço será capaz de sustentar o meu corpo e me servir de abrigo?!
Eu sempre me comovi com o teu jeito de se encantar com as crianças e foi por isso que eu te escolhi pra ser o pai dos meus filhos, mesmo que eu nunca os tenha. Eu acho linda a forma humana e igualitária com que você trata as pessoas e me orgulho com a sua capacidade de ajudar o próximo. Eu sempre amei tudo em você. Adorava descobrir que você falava de mim pro seu amigo, que deixava cair a máscara de 'durão' e mostrava o homem sensível que tem por trás, que me elogiava e jurava que eu não possuía defeitos. Mas eu nunca fui perfeita amor, você que era bom de mais pra ver alguma coisa ruim em mim. A única coisa verdadeiramente perfeita era o nosso amor.
Eu sei que você também fazia planos e porque sei disso não sinto mais vergonha por ter te revelado os meus. Eu sei que aquela casinha de campo na serra que você sonhava comprar... era aonde você desejava envelhecer ao meu lado. Eu sei que o livro que você começou a escrever era pra tentar entrar um pouco no meu mundo de coisas escritas. Eu sei que o sonho de ir a Europa só existia em minha companhia. Eu sei que tudo o que foi sonhado comigo e por mim, você não sonhará com mais ninguém e eu te amo ainda mais por ter certeza disso.
Eu não posso mais passear a minha mão pelo teu rosto descobrindo todas as marcas que o tempo deixou em você, mas ainda sou a pessoa que te conhece sinal por sinal e pode visualizar cada um deles em um fechar de olhos. Eu não posso mais ver você comprimir a barriga em frente ao espelho e lembrar dos tempos em que vivia na academia, mas eu conheço como ninguém todas as tuas medidas e o quanto você está acima do peso. Eu não posso mais te obrigar a ir no médico, a se cuidar, a fazer tudo direitinho, mas eu continuo sendo a única pessoa no mundo capaz de salvar o teu dia de uma dor de cabeça. Eu não posso mais te causar nenhuma dor, nenhuma decepção e nenhum ciúme, mas sei que mesmo distante ainda sou eu o motivo dos teus novos cabelos brancos.
Eu que falo pelos cotovelos, que sempre te digo tudo o que sinto, que sempre resolvi tudo no diálogo, não encontrei nenhuma palavra que te trouxesse de volta pra mim. Eu só queria ter de volta aqueles abraços fortes, quando sem que você percebesse eu pedia a Deus pra que você fosse meu pela eternidade. Eu queria de volta o seu sorriso e o meu que só existe quando o seu também está aqui. Eu queria te ver falhar em mais um regime só pra derrubar mais um pouco da tua vaidade e te fazer perceber o quanto eu sou linda pra você. Eu queria a minha solidão preenchida. Eu queria me embriagar com o teu perfume. Eu queria me morder de ciúme daquelas meninas magricelas que vivem dando em cima de você como se você gostasse de um monte de ossos. Eu queria te mostrar como eu consigo fazer amor em troca de nada. Eu queria matar o resto do mundo de inveja de um amor que é só meu.
Estamos separados, frios, amigos, estranhos, distantes. Estamos separados e eu te queria agora, naquele carro velho, com aquelas meias sujas, com aqueles tênis vermelhos que eu detestava, com aquela blusa amassada e aquela calça jeans surrada. Eu te queria aqui, com aquela cueca preta coladinha, com aquele óculos entre nós dois e com todo aquele medo de se perder em mim pra sempre.
Eu vou te esperar mesmo sem te dizer, mesmo sem ir atrás, mesmo sem jogar indiretas... e se um dia você vier... vai me encontrar de vestido de 'chita', de rabo de cavalo, sem maquiagem, mas com toda a felicidade do mundo porque eu sei que você me ver de todas as formas que um homem pode ver uma mulher e sei que vai me achar linda de qualquer maneira e que vai me querer com todas as minhas neuroses, loucuras e porquês. Se você realmente vier um dia, se eu realmente estiver certa, eu saberei que valeu a pena, que amores não se perdem, e se a gente deixa a vida levar é porque sabe que o amor é capaz de trazer de volta.
By AMANDA TELES

9 comentários:

  1. Ai que lindo, chorei!

    ResponderExcluir
  2. sinceramente muito lindo
    chorei o texto todo *-*

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso....de uma sensibilidade gritante... me relacionei om cada frase...lindo, lindo, ,lindo!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Tou na comunidade, texto muito lindo, chorei.

    ResponderExcluir
  5. Meeu Deus, é tudo que sinto nesse exato momento !

    ResponderExcluir
  6. toda vez que leio esse texto me emociono

    ResponderExcluir

Comentem,comentem,que a gente adora ler o que vocês acham...