segunda-feira, 5 de abril de 2010

Parasitas


Por que essa mania infantil de complicar a vida? Será que eu preciso desenhar a simplicidade que é tudo isso? Pois bem queridinho, é o seguinte, ou me quer e fica comigo ou não quer e desocupa de uma vez meu coração. Ficar aqui empacado, tomando espaço, impedindo a circulação sanguínea desse meu já massacrado órgão é que não dá. Se não quer, se preocupe não, eu reconheço com a maior serenidade possível que não agrado a todos os paladares e além disso, tem uma filinha ai atrás doida pra ter uma chance, então perda mais tempo não, 'xô' da minha vida e vai dar uma voltinha que você encontra um coração mais sossegado pra 'parasitar'. Não se assuste não, sou eu mesmo, é que hoje eu me despi da minha santa paciência e vesti a minha mais linda cara 'super-sincera' e vim aqui 'dá ela a tapa' pra ver o que acontece. Cansei de parasitas sugando todo meu amor, todo o meu carinho, toda a minha vontade de entrega. Não tem mais condições, vou tomar perticidas, veneno, remédio pra verme, remédio pra dor, cachaça e qualquer outra coisa que garanta a eliminação de sanguessugas, como você, do meu peito. Ainda não tá me reconhecendo? Sinal de que nunca me conheceu, ando longe de ser só aquela calmaria que te ouve sempre, que te acolhe de braços abertos e que te aceita sem receios... eu sou muito mais esse infinito de emoções explosivas que você está conhecendo agora. Eu sou horror a demora e desapego a esperas, então mesmo quando o sentimento fica eu me mando. Já vou longe e já vou tarde. Sou isso mesmo, praticidade, maturidade, pra quê complicar ainda mais essa coisa enrolada que é o coração? Pra quê inundar a cabeça de alguém com dúvidas se não vai ficar por perto pra esclarecer cada uma delas? Pra quê mesmo que se brinca com o sentimento alheio, mesmo cansados de saber que ali na frente vem alguém brincar com você? É tudo tão pequeno, mesquinho e infantil que eu não tenho o meu precioso tempo pra isso não. Eu quero descomplicação, gente decidida, que quando quer fica e quando não quer nem para pra um cafezinho, quero vidinha adulta, conversinha besta, mas adulta. Quero carinho de criança, mas sem perder a tranquilidade de adulta. Chega de pertubações, parasitismos, paixões surreais, amores impossíveis, eu só tenho tempo a perder com o que pode dar certo. Meu coração está de novo em minhas mãos e dessa vez eu assumi o comando. Nada de entregá-lo ao acaso, nada de entregar a essa gentinha á toa, nada de guardar espaço pra você.

BY AMANDA TELES

3 comentários:

  1. Adorei o seu blog. Belos textos...PARABÉNS POETA!

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana,ja estou seguindo vocês ok?
    Sucesso,vocês são lindas!
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Nossa encontrei vcs por acaso e quando li esse texto, q showwwww!!!

    O mais engraçado q estou passando por momento q é exatamente esse do texto, gosto da pessoa mas a pessoa não está com cabeça pra pensar em coisas do coração, ou seja dancei!! Isso pq fiz uma declaração do tipo ou vai ou nao vai, mas infelizmente nao obtive a resposta concreta e fiquei ainda na duvida..o q penso em fazer é ficar na minha, e seja q deus quiser, deixar de viver nao vou, mas ficar esperando tbm nao dá!

    Infelizmente nada é como queremos!!

    =//

    ResponderExcluir

Comentem,comentem,que a gente adora ler o que vocês acham...